Banco de Sangue do Cordão Umbilical – Tudo o que você precisa saber

2019-02-05 Off Por Rafael Souza

Ao considerar manter o cordão umbilical no banco de sangue perto de sua casa, é realmente saber tudo sobre essa prática ?. Hoje, vamos falar sobre como funciona o banco de sangue do cordão umbilical e também esclarecer as perguntas mais frequentes.

Se você está pensando em manter seguro o sangue presente do cordão umbilical do seu bebê, pode surgir algumas questões básicas – do inicio: o que é o banco de sangue do cordão umbilical ?

Banco de Sangue do Cordão Umbilical - Tudo o que você precisa saber

1. O que é sangue do cordão umbilical?

O Sangue presente no cordão, ou sangue placentário, é o sangue que sobra no cordão umbilical de um bebê depois de ter sido rompido no parto. Neste sangue, está presente muitos tipos de células estaminais, e entre elas as células estaminais hematopoiéticas – que possuem a capacidade de se desenvolver em qualquer outro tipo de sangue humano, e em células do sistema imunitário também.

Estas células estão presentes principalmente na medula óssea e também no sangue do cordão umbilical (embora algumas também possam estar presentes no sangue periférico), e podem ser usadas no tratamentos de pacientes que sofrem de distúrbios sanguíneos, imunodeficiências e outras doenças.

Como todas as outras células do seu bebê, as células-tronco do cordão umbilical são geneticamente exclusivas para cada pessoa e geneticamente parecidas às células-tronco dos outros membros da família. Diferentes da medula óssea, as células do sangue do cordão umbilical podem ser retiradas com facilidade e podem ser mantidas congeladas para uso posterior. Contudo, esse é o único momento que pode ser retirado: imediatamente após o parto.

2. Quais doenças são atualmente curadas pelas células-tronco presentes no sangue do cordão umbilical?

As células-tronco no sangue do cordão umbilical são indicadas no tratamento padrão para uma grande variedade de doenças, incluindo leucemias (cânceres do sistema imunológico do sangue), cânceres de medula óssea, linfomas e também neuroblastoma; anormalidades hereditárias das hemácias, como por exemplo a anemia falciforme e outras anemias; Doença de Gaucher, síndrome de Hunter e síndrome de Hurler;  e doenças do sistema imunológico.

As células-tronco do sangue do cordão também estão sendo pesquisadas no tratamento para muitas condições e doenças que atingem um grande número de vítimas, incluindo diabetes, paralisia cerebral , autismo , doença de Crohn e também certos defeitos cardíacos que já estão presentes no nascimento, embora hoje em dia não seja indicado como o tratamento padrão.

3. Quando e como o sangue do cordão umbilical é coletado?

O sangue do cordão umbilical é retirado rapidamente e sem dor apenas dentro de alguns depois do nascimento – logo após o cordão ter sido segurado pelos dois lados e cortado (antes ou depois da administração da placenta ). Quase sempre, o sangue é colhido do cordão umbilical com uma agulha anexada a uma pequena bolsa. Mas o sangue do cordão também pode ser retirado com uma agulha e uma seringa simples, que é um processo mais rápido.

4. Por quanto tempo o sangue do cordão pode ser guardado antes de expirar?

É conhecido que as células estaminais do sangue do cordão consigam se manter viáveis ​​- isso é, nas mesmas condições no momento em que foram congeladas – mesmo por mais mais de 20 anos de armazenamento. É por isso que os estudiosos indicam que com métodos recomendados de congelamento e armazenamento em nitrogênio líquido, pode ser possível manter as células aproveitáveis por muitas décadas ou, talvez, para sempre.

5. Qual é a probabilidade de que meu filho possa precisar do próprio sangue do cordão umbilical?

As reais chances que uma criança possa precisar do próprio sangue (ou autólogo) para curar uma condição médica ainda não está totalmente clara.

A probabilidade do seu bebê necessitar de sangue do cordão umbilical de outro doador também pode ser variável. Por esse motivo, muitas doenças, como certos tipos de câncer, ocorrem por fatores desconhecidos, por isso é difícil antecipar a probabilidade de um transplante de células-tronco ser um tratamento paralelo ou uma cura bem-sucedidas para essas doenças.

Há primeiras evidências, no entanto, de que os transplantes de células estaminais do sangue do cordão umbilical de pessoas consideradas doadores relacionados (versus não relacionados) podem levar a melhores resultados clínicos para os pacientes.

Todo esse campo de pesquisa ainda é novo. A Academia Americana de Pediatria (AAP) diz que não há estimativas realistas da probabilidade de as crianças necessitarem de suas próprias células do sangue que estão congeladas, e dizem ainda que esse número pode variar de 1 em 1.000 a 1 em 20.000.

O Congresso Americano de Obstetras e Ginecologistas (ACOG) concorda com esse posicionamento, informando as chances apenas como remotas. A ACOG indica que os médicos forneçam informações realistas às pacientes grávidas, indicando as vantagens e desvantagens da doação pública e do congelamento privado de sangue do cordão umbilical.

6. Quais são as minhas opções para guardar o sangue do cordão umbilical do meu bebê?

Hoje, as famílias têm duas opções viáveis – a doação pública e o armazenamento do banco privado de sangue do cordão umbilical .

Nos bancos públicos de sangue do cordão umbilical presentes nos países desenvolvidos, o sangue do cordão umbilical do bebê é entregue para um banco de sangue do cordão umbilical, onde é guardado para ser usado por qualquer pessoa que necessita durante um transplante ou tratamento. Também pode ser utilizado em pesquisas médicas.

Quando os pais fornecem o sangue do cordão umbilical do seu bebê, eles concordam com todos os direitos a ele, e o banco que fica como dono do sangue – o que indica que não há garantia de que ele estará disponível para a família do próprio doador mais tarde se precisar. Doar sangue do cordão pode ser feito por todos; os bancos públicos de sangue do cordão costumam dar uma remuneração pela coleta e armazenamento.

No banco privado de sangue do cordão umbilical, os pais precisam custear o congelamento e o armazenamento do sangue do cordão umbilical para ser usado no futuro, ou para uso por um membro da família como um pai ou mesmo um irmão.

A família nesse caso é dona do sangue do cordão umbilical e pode assim tomar decisões importantes sobre como ele deve ser usado. O custo do banco privado muda, depedenden dos termos do banco, mas geralmente custa entre  US $ 1.000 a US $ 2.500 dólares para a coleta correta inicial do sangue, e ainda algumas taxas anuais relativas aos seu armazenamento, que podem variar entre US $ 100 a US $ 300 dólares por ano.

7. O que acontecerá com o sangue do cordão umbilical do meu filho se eu fizer a doação?

Uma vez que o sangue é retirado, ele é testado. O sangue da mãe deve ser analisado para doenças infecciosas e o sangue do cordão umbilical deve ser testado para doenças hereditárias do sangue. Então, se os resultados apontarem positivamente  para o armazenamento do setor bancário, ele será congelada lentamente e logo após armazenado em nitrogênio líquido.

8. Como posso doar sangue do cordão umbilical?

Hoje, vários hospitais locais e grandes hospitais universitários e centros médicos já recebem doações de sangue do cordão umbilical, mas há um número muito limitado de bancos públicos no Brasil, graças aos altos custos envolvidos no armazenamento correto do sangue. O alto custo também restringe o número de doações que aceitam.

Discuta com seu médico ou fale com o hospital onde você planeja fazer o parto para descobrir como você pode fazer a doação do sangue do cordão umbilical do seu bebê.

9. O que acontecerá com o sangue do cordão umbilical do meu filho se eu o contratar um armazenamento particular?

Depois de ter contratado um banco privado para guardar o sangue do cordão umbilical do seu bebê, a empresa enviará um kit para a coleta que você deve entregar ao hospital ou ao centro de parto no momento logo no começo do trabalho de parto. Sua enfermeira ou médico deverá ser o responsável pela coleta do seu sangue.

Após essa etapa, ele é guardado no kit de coleta exclusivo, para envio através de uma embalagem especial. Depois que o sangue é aceito pelo banco, ele será analisado (para achar algum indício de  contaminação, por exemplo) e depois congelado e armazenado em nitrogênio líquido. O sangue da mãe é testado para doenças. Contudo, um teste denominado “tipagem de antígeno leucocitário humano (HLA)”, que estimula se o sangue é compatível com um paciente em especial, não é realizado na amostra até que seja necessário para o eventual uso.

10. Quem posso contatar sobre serviços bancários privados de sangue do cordão umbilical?

Para saber mais sobre o banco privado de sangue do cordão umbilical, entre no portal da ANVISA.

11. Existe algo específico que eu deveria analisar ao escolher um banco privado?

Durante a escolha do banco privado, você deve investigar vários fatores: a viabilidade e a estabilidade da empresa, o processo de consentimento que deve ser aceito, a tecnologia de processamento e armazenamento utilizada e se o banco divulga declarações financeiras e de conflitos de interesses.

Além disso, os bancos privados de sangue do cordão devem sempre respeitar os padrões nacionais de acreditação desenvolvidos pela AABB e pela FDA.

12. Eu gostaria de usar um banco privado para guardar o sangue do cordão umbilical do meu filho, mas não posso consigo pagar o alto custo. Quais são minhas opções?

Hoje, alguns bancos já possuem planos de pagamento mensais adaptados. Claro que o aumento no número de bancos privados podem fazer com que a concorrência diminua os custos.

Mas no caso do uso urgente, como nos casos em que um irmão mais velho ou membro da família precisa de um transplante rapidamente, algumas agências de seguro médico poderão cobrir os custos de coleta de sangue. Porém, é improvável que uma companhia de seguros seja responsável pelo pagamento das taxas de armazenamento.

 

Ah, você é uma mãe de primeira viagem?

Conheça o nosso Guia Prático para Mamães de Primeira Viagem, são 4 livros digitais que vão orientar de forma prática e correta como você deve se preparar para a chegada do seu bebê. É um passo a passo do que você vai precisar saber antes e após a chegada do seu neném. Direcionado para mães de primeira viagem, o curso tem como objetivo promover segurança no cuidado com o recém-nascido , além de abordar aspectos do crescimento e desenvolvimento infantil nos primeiros anos de vida.

Para ter acesso, entre aqui.

 

Fonte 01

 

Fonte 01