Como ocorre o ciclo menstrual normal

2019-06-06 Off Por Rafael Souza

Os diferentes hormônios do ciclo menstrual

Condutores verdadeiros do ciclo menstrual, diferentes hormônios causam mudanças no sistema reprodutivo feminino, por sua vez, para possível fertilização e gravidez. Existem três andares:

  • um estágio de comando: o hipotálamo e a glândula pituitária
  • um estágio intermediário: os ovários
  • um estágio de execução: os órgãos-alvo (útero, vagina, mama) (1)

O funcionamento dos ovários é controlado pelo hipotálamo e pela glândula pituitária, duas pequenas glândulas endócrinas na base do cérebro. O hipotálamo secreta o hormônio liberador de gonadotrofina hipofisária (LH-RH para hormônio liberador de hormônio luteinizante) que estimula a glândula pituitária. A glândula secreta dois hormônios: FSH (hormônio folículo estimulante) e LH (hormônio luteinizante), que por sua vez agem sobre os ovários. Estes secretam progesterona e estrogênio.

Como ocorre o ciclo menstrual normal

Um estoque de folículos desde o nascimento

A oogênese (formação de oócitos, células reprodutivas femininas) começa na vida embrionária. A menina nascida com um grande estoque de folículos (um pequeno saco localizado na periferia do ovário e no qual o oócito se desenvolve), mas uma grande parte desse estoque é destruída. Na cota restante, todos os meses, da puberdade à menopausa, cem folículos começarão a crescer, mas apenas um irá amadurecer. O ciclo menstrual corresponde precisamente à evolução deste folículo.

Número de folículos
No nascimento 900 000 à 1 000 000
Na puberdade 300 000 à 400 000
Cerca de 20 anos 100 000
Entre 45-50 anos 0 à 100

 

As 3 fases do ciclo menstrual

A fase folicular (do primeiro dia da menstruação até o dia da ovulação)
Sob o efeito do FSH, a foliculogênese começa. Compreende duas fases:

o recrutamento inicial dos folículos: a cada ciclo, cem folículos começarão seu crescimento, evoluindo do estágio de folículos primordiais para os folículos terciários (ou antral).

o crescimento do folículo antral com um folículo pré-ovulatório: neste grupo de folículos, apenas um, chamado de “folículo dominante”, continuará a amadurecer e atingir o estágio maduro folículo pré-ovulatório (ou folículo De Graaph). Todos os outros folículos são destruídos.

Ainda sob a influência da FSH, os ovários secretam estrogênio cuja taxa, no seu nível mais baixo no primeiro dia da menstruação, aumenta à medida que o folículo se desenvolve. Esta secreção de estrogênio provoca diferentes modificações:

– O muco cervical é modificado para garantir um ambiente fértil para os espermatozóides.

– o revestimento uterino engrossa para a implantação de um possível óvulo fertilizado.

O nível de estrogênio também informa a glândula pituitária do estado de maturação do folículo. Esta taxa está no máximo 24 horas antes da ovulação.

Ovulação

Quando o nível de estrogênio indica que o folículo está maduro, o complexo hipotalâmico-hipofisário reage secretando maciçamente o LH. Sob o efeito desse pico de LH, a tensão do fluido contido no folículo aumenta; sua parede se rompe e libera o oócito que é então sugado pelas franjas do chifre da trompa de falópio. Lá, ele pode sobreviver de 12 a 24 horas no máximo. Se não foi fertilizado por um espermatozóide, o oócito degenera.

A fase luteal (da ovulação ao primeiro dia das seguintes regras)

Sob o efeito de LH, as paredes do colapso folículo vazio e capilares sanguíneos desenvolvem-se lá. Torna-se o “corpo amarelo”. Esta glândula secreta estrogênio e progesterona. Este último, muitas vezes chamado de “hormônio da maternidade”, fortalece o revestimento uterino para preparar a implantação de um possível ovócito fertilizado. O revestimento uterino forma então uma renda muito vascularizada. No vigésimo dia do ciclo, o útero está pronto para receber um óvulo.

Dois casos então:

– se não houve fertilização, o corpo lúteo se atrofia e se degenera, levando a uma súbita cessação da secreção de estrogênio e progesterona. Essa queda hormonal causa pequenas contrações no revestimento uterino que, eventualmente, se desprendem e são eliminadas pela vagina. Estas são as regras. O oócito não fertilizado também é evacuado. A partir de então, um novo folículo começará sua maturação: é o começo de um novo ciclo.

– se houver fecundação do oócito, ele se acomodará no revestimento uterino. É o ninho, passo crucial que ocorre cerca de uma semana após a fertilização. Uma vez implantada no útero, a camada externa celular do oócito secreta gonadotrofina coriônica (HCG). Este “hormônio da gravidez” manterá a atividade do corpo lúteo, que por sua vez secreta estrogênio e progesterona, essencial para a continuação da gravidez. Aos três meses de gravidez, a placenta assume o controle e o corpo lúteo regride.

Duração do ciclo menstrual

O ciclo começa no primeiro dia das regras e termina no primeiro dia das próximas regras.

Dura em média 28 dias, mas com fortes variações de acordo com as mulheres e até mesmo de um ciclo para outro. Alguns têm ciclos curtos de 22 dias, outros ciclos longos de até 35 ou 40 dias. A duração da fase lútea (segunda fase do ciclo) é fixa: o período normalmente ocorre 14 dias após a ovulação. Por outro lado, é a data da ovulação que pode flutuar, encurtando ou prolongando a fase folicular (primeira fase) e a duração total do ciclo.

Muitos fatores podem influenciar o tempo e a qualidade do ciclo. Hormônios sexuais podem estimular ou inibir a produção de LH-RH. O hipotálamo também está sujeito à influência do ambiente, do terreno psicológico, da alimentação, da saúde geral, através dos neurotransmissores, pequenas moléculas que transmitem mensagens ao cérebro (3). ).