Inversão Uterina Durante a Gravidez – Por que ela ocorre e quais os tratamentos

2019-06-06 Off Por Rafael Souza

Essa complicação é muito rara – e é facilmente diagnosticada para tratamento imediato.

A inversão uterina é uma complicação rara do parto que ocorre quando parte da parede uterina colapsa e vira do avesso, às vezes até mesmo projetando-se através do colo do útero e para dentro da vagina.

Inversão Uterina Durante a Gravidez - Por que ela ocorre e quais os tratamentos

A gama completa de problemas que podem causar inversão uterina não é totalmente compreendida, mas em muitos casos inclui a separação incompleta da placenta da parede uterina; a placenta então puxa o útero quando sai do canal do parto.

Quão comum é a inversão uterina?

As estatísticas são difíceis de obter, mas, felizmente, a inversão uterina é muito rara. Algumas pesquisas estimam que a inversão uterina ocorre em um de cada 3.500 partos.

Quem corre mais risco de inversão uterina?

Você está em maior risco de uma inversão do útero se você teve uma inversão durante um parto anterior. Outros fatores de risco incluem trabalho de parto prolongado (duração de mais de 24 horas), vários partos vaginais anteriores ou uso de drogas como sulfato de magnésio ou terbutalina (administrado para interromper o trabalho de parto prematuro).

Quais são os sintomas da inversão uterina?

Os sintomas de inversão do útero incluem dor abdominal e sangramento excessivo.

Você deveria estar preocupado?

A inversão uterina, quando não notada e / ou não tratada, pode resultar em hemorragia e choque. Mas essa é uma possibilidade remota; a condição ocorre raramente e é improvável que passe despercebida.

O que você pode fazer:

Conheça seus fatores de risco e informe seu médico se você teve uma inversão uterina no passado. Se você tiver uma inversão, seu médico tentará empurrar o útero de volta para onde ele pertence e, em seguida, administrar drogas como a ocitocina para fazer com que os músculos flexíveis se contraiam. Em casos raros, quando isso não funciona, a cirurgia é uma opção. Em ambos os casos, você pode precisar de uma transfusão de sangue para compensar o sangue perdido durante a inversão.