Seu bebê pode provar o gosto da comida no útero?

2019-01-28 Off Por Rafael Souza

Curiosa em saber se seu bebê em crescimento pode reconhecer o sabor dos alimentos de dentro do útero – e como sua dieta durante a gravidez pode mudar os hábitos alimentares nos próximos anos? 

Quer que seu filho não fique muito exigente em relação a comida? Mesmo que seu bebê não consiga comer alimentos sólidos diretamente na barriga da mãe, nunca é cedo demais para começar a apresentá-lo a uma variedade de gostos. Na verdade, o paladar do bebê começa a ser formado no começo da gravidez. Ela sente sim o que você prova – e uma nova  pesquisa relatou que os alimentos que você se alimenta durante esse tempo ajudam a formar o que seu bebê vai gostar de comer, mesmo anos depois.

Seu bebê pode provar o gosto da comida no útero?

O sabor começa com os paladares

Nos dois primeiros meses de gravidez, os neurônios (ou seja, células do cérebro) iniciam a formação da parte principal do cérebro em desenvolvimento do seu bebê para diferentes áreas do corpo, como por exemplo, a parte da boca do bebê. Nessa mesma fase, as papilas gustativas iniciam a formar o local da língua. Esses grupos de receptores no futuro irão reconhecer os cinco sabores: doce, salgado, amargo, azedo e umami.

Por volta da oitava semana de gravidez , os neurônios do cérebro estarão ligados a essas papilas gustativas em desenvolvimento.

Mas nessa fase, seu bebê ainda não irá conseguir sentir o gosto do líquido amniótico que está ao seu redor: para isso, será necessária a ativação dos pequenos buracos na superfície da língua, para assim permitir que as moléculas da comida entrem em contato com os receptores gustativos, que compõem as papilas gustativas. .

Geralmente na 16ª semana , esses poros do paladar já deverão estar desenvolvidos. Nessa fase, seu bebê também terá começado a engolir líquido amniótico.

À medida que o fluido percorre o caminho até seu sistema digestivo, as moléculas no fluido irão interagir com as papilas gustativas, e seu bebê nesse momento irá sentir seu primeiro sabor: o sabor do líquido amniótico salgado. A quantidade de líquido amniótico que ela irá beber – e o número de sabores aos quais ele está exposto – continuará aumentando cada vez mais, ao longo do segundo e terceiro trimestres de gravidez. Durante a vigésima primeira semana , ela irá beber um pouco a mais todo dia.

O que você prova, seu bebê também irá provar

Mesmo que o seu sistema digestivo seja diferente do seu bebê, as moléculas dos alimentos da sua alimentação acabarão por entrar no líquido amniótico – e isso não vale apenas para as vitaminas, minerais, gorduras e proteínas, vale também para todas as moléculas que são responsáveis pelo sabor dos alimentos.

Os sabores que seu bebê irá experimentar de dentro do útero, contudo, não serão tão intensos quanto os que você sente ao comer. Isso se deve pelo que muito do que você imagina ser o sabor de um alimento é somente o seu cheiro, que é sentido pelo nariz durante a mastigação.

Desdo momento que seu bebê está cercado por líquido amniótico, ela só irá sentir as moléculas de sua corrente sanguínea, e nessa fase ele ainda não tem o sentido do olfato para intensificar esses sabores. Mas mesmo sem esse plus no seu paladar, seu bebê começará a identificar os alimentos.

Incentivar um palato amplo

Uma recente pesquisa indicou que todos os alimentos que você consome durante a gravidez irá sim ter influência nos alimentos que seu bebê vai gostar nos próximos anos. Segundo apontou esse estudo, mães que consumiram suco de cenoura durante o terceiro trimestre da gravidez deram a luz a bebês que, uma vez que começaram a desmamar, apresentaram menos sinais negativos de rejeição, quando receberam suco de cenoura.

Outro estudo, feito no ano de 2012, indicou que as ratas grávidas que consumiam muita comida e que também tinham dietas ricas em gordura, sal e açúcar deram à luz crianças que preferiam esse tipo de alimento, e que apreciavam alimentos mais saudáveis. Alguns cientistas citam que os tipos de alimentos que você ingere durante a gravidez podem formar literalmente os hábitos alimentares do seu filho – assim também suas chances de obesidade e diabetes – durante o resto de sua vida.

Então, quais abores você deve expor seu bebê durante toda a gravidez? Sabendo disso, procure consumir sempre uma dieta equilibrada e também variada, além de escolher frutas e vegetais frescos, no lugar de lanches salgados e processados.

Isso não só irá ajudar a mantê-lo saudável durante toda a gravidez, mas também irá preparar o terreno para que ele desenvolva um gosto saudável ​​e diversificado de alimentos. E não irá limitar o consumo de alimentos saborosos, que você aprecie e que gostaria que seu bebê aprendesse a gostar também: Sabores usados como tempero, como alho, hortelã e curry estão entre aqueles que são passados de forma mais intensa através do seu líquido amniótico.

 

Ah, você sabia que já existe treinamento voltado para a alimentação do seu bebê?

No curso Bebê Bem Nutrido, a Nutricionista Jenifer Knabben ajuda as mamães a solucionarem uma de suas principais dúvidas: o que servir para o bebê quando ele começa a comer? Esta fase, chamada de introdução alimentar, é de grande importância pois é durante essa fase que os hábitos alimentares da criança serão estabelecidos – e que ela levará por toda sua vida. Através de sua experiência como nutricionista e também como mãe, Jenifer apresenta a técnica mais adequada para quando e como começar a introdução alimentar, quais utensílios utilizar, o que e quanto servir em cada uma das fases – dos 6 aos 12 meses. Além das vídeo-aulas, o curso contém 3 e-books exclusivos como BÔNUS: 1. BEBÊ BEM NUTRIDO Volume 1: o passo-a-passo para uma Introdução Alimentar saudável e feliz. 2. BEBÊ BEM NUTRIDO Volume 2: 21 receitas dos 6 aos 12 meses. 3. BEBÊ BEM NUTRIDO Volume 3: o cardápio semanal para a Introdução Alimentar planejada. Aproveite esta oportunidade e matricule-se já!